quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Corpos ardentes



Vibram desejos, crepitam carícias,
Seduz meu pudor, cobiças meus ais.
Ritmos afinados, a fim desse samba,
Valsamos os corpos, delírios debutes.

Seguras com pompa, um corpo dourado,
Anestesio momentos que guardo pra ti.
Entrego-me nesse vício chamado você.
Flutuas meu anjo, sou fêmea faminta.

Meus olhos seduzem as suas vontades,
Combato esse homem que queima minha pele.
Tatuo esse amor no peito e na alma.

Avanço limites de amantes em brasa.
Os corpos aquecidos nos levam as loucuras.
Sussurro baixinho: me tenhas outra vez!

Silvia Dunley    27.01.2011.

6 comentários:

  1. Sensualidade com a meiguisse dos sussurros, isto alem de gostoso faz muito bem, Parabens Silvia !!!

    ResponderExcluir
  2. Linda sua poesia... lindo seu blog, poetisa!! Parabéns... bjsss!! Beth Joy.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. lindo é o amor, e o fazer amor, mas assim deixa escapar gemidos e sussurros.

    ResponderExcluir