quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Ame-a


Tatuei o seu nome, oportuno e decoroso,
Tão briosa e versátil, faz a pele pegar fogo!
Alicio os desejos, apoiados na vontade.
Encontrei todos os sentidos neste amor destemperado.

Disfarcei meu Bom Humor, tornei-me impertinente,
Meninice ou cretinice, eu mirei o alvo certo.
Extasiada na incerteza, procurei dar xeque-mate,
Uma jogada crucial que me fez  virar o jogo.

A procura do indulto, protelei-me no desejo;
Ultimato eu já me dei, desafio meus limites,
Aturdio sem temor; decisão de alto risco.

O apetite é voraz, por inteira consumida,
Mas você sempre se esconde, bate sempre em retirada...
Alimente essa moça. Essa fome você tem... e como tem !

Silvia Dunley.       16.11.2010.

4 comentários:

  1. seu blog é muito bonito e seus trabalhos s~so ótimos, um beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, amigo poeta!
    Bjs grandes

    ResponderExcluir
  3. Silvia como sempre muito brilhante seu trabalho e seu blog e 10 beijos no teu coração minha muito querida amiga e minha poetiza preferida !!!

    ResponderExcluir