sábado, 4 de fevereiro de 2012

Nós dois

      


Ainda dou-te um gole de beijos.
Um montão de amasso regaço.
 Te embalo nesse canto sabiá.
 Me enrosco nesse corpo pontilhado.

Azucrino seus vícios aos meus.
Alimento seus gestos famintos.
 Atiço a sede de amar.
Abocanho sem perda de tempo.

Vamos dos urros aos sussurros.
Despimos minutos em horas.
Chegamos aos toques finais.

Cedemos todos encantos. Que jeito ?
Camuflei meus acasos. Pertinaz.
Fez-se belo e soberano ao nascer de um novo sol.

Silvia Dunley     24.01.2012

3 comentários:

  1. Oi guria escrevendo cada vez melhor parabens, beijão !!!!

    ResponderExcluir
  2. Bonito poema...
    Um abraço,
    Ana Claudia

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada amigos! O apoio de vocês traz luz e sabedoria para continuar escrevendo!

    ResponderExcluir